Como Business Inteligence está mudando o mercado da Musica .

Ferramentas de Business Intelligence (BI) – faceta fundamental de diversos segmentos de mercado vem revolucionando como ouvimos nossa música e como o mercado produtor das mesmas atuam. Neste artigo busco mostrar como este mercado bilionário foi afetado pela tecnologia, Big Data e BI e as mudanças de hábitos que também refletem em nosso consumo destes produtos.

AAEAAQAAAAAAAAfKAAAAJGNjMjEyOWMwLWNmODktNDQwNi1hMjlkLTgzZjliZjg0ZTk2OA

As mudanças no mercado da música

A tecnologia causou um enorme impacto na indústria da música, inicialmente, prejudicando uma de suas grandes fontes de renda: a venda de discos. Desde os saudosos LPs, gravadoras e músicos lucram com a venda de cópias físicas de suas obras, a serem reproduzidas na casa do consumidor, no momento em que desejasse. Mesmo existindo antes dos anos 90 a “pirataria” (cópias em fitas ou de CDs, posteriormente), o volume que este fenômeno toma pós-internet é gigantesco: ferramentas como o Napster surgiram, permitindo que a música que você possuía em seu computador fosse compartilhada com pessoas do mundo todo.

A indústria reagiu, processando ferramentas que viabilizassem o compartilhamento gratuito. Essa briga, que ainda ocorre esporadicamente com alguns aplicativos, está quase no fim. Os modelos de consumo mudaram, as pessoas querem consumir música de outra maneira e, como em todo negócio, são necessárias adaptações para não perecer. Surgem então, ferramentas como “YouTube” e “Spotfy” que oferecem músicas online pagando aos músicos e seus representantes e, ao mesmo tempo, oferecendo serviços baratos ou gratuitos para os consumidores finais.

Como o BI pode auxiliar a indústria da música?

Como em qualquer outro setor: transformar dados em informações valiosas. Antes era vendido o CD ou LP e pronto, acabava-se o processo. Não se sabia exatamente quem era o público, quando era vendido e o que gerava o aumento ou diminuição das vendas. Com os serviços online é possível coletar todos esses dados e transforma-los em importantes insumos para a tomada de decisões. Assim gravadoras, produtoras ou até mesmo músicos independentes podem, com todas essas informações coletadas, tomar decisões mais acertadas sobre futuros investimentos, qual estilo de música faz mais sucesso entre outras inúmeras possibilidades.

Big Data: Prevendo sucessos

O big data e ferramentas de análises já chegam a sofisticação de serem capazes de “prever” quais músicas farão sucesso. Pesquisadores da Universidade da Antuérpia desenvolveram um algoritmo que pode, com uma margem de acerto relativamente alta, identificar quais músicas ficarão no topo da Billboard (revista especializada em música que realiza rankings com as músicas de maior sucesso no momento) com base em análises do histórico de músicas que já estiveram na lista desde 1985 e da canção em questão.

Concluindo

A tecnologia revolucionou o mercado da música, descentralizando decisões e tornando o mercado mais pulverizado e dinâmico, contando com mais players menores do que o monopólio das grandes produtoras de outrora, graças a popularização dos meios de produção (gravação, edição etc.) e divulgação (Youtube, blogs, sites especializados, streaming etc.). Com isto, surgem novos desafios, sendo o principal a boa gestão dos dados produzidos, viabilizando a tomada de decisões mais rápida e eficaz.

*Leonardo Farah é CEO da Toccato, Distribuidora das soluções de análise Qlik e única com o título Elite Master Reseller no Brasil.